Nublado a parcialmente nublado

Máxima: 28 ºC
Mínima: 16 ºC

Navegando: Indisponível

Coluna 102: Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (24)
Publicada dia 06 de Outubro de 2007

Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (24)

No ano de 1902, a nova cidade de S. Bento engalanou-se para receber D. Luiz Brito, bispo titular de Olinda, que ainda não era arcebispado nem tinha a denominação de Olinda e Recife, em visita pastoral, ao tempo em que aproveitou a estada para inspecionar os livros de assentamentos de batizados, casamentos e de óbitos, deixando para a posteridade o seu visto e elogiando o bom estado de conservação e organização dos documentos.


Era a primeira vez que ocorria uma visita episcopal a uma paróquia tão distante. Depois de enfrentar uma tranqüila viagem de trem até Caruaru, estação terminal da antiga Estrada de Ferro Central de Pernambuco, onde aproveitou para descansar e desenvolver suas atividades de pastor de almas, cantando missas, efetuando batizados, casamentos e, por fim, recebendo as autoridades civis das localidades circunvizinhas empenhadas em demonstrar o seu carinho e  a afeição diante de tão singular acontecimento.


Dias depois, Dom Luiz e sua comitiva, composta por quinze integrantes, seguiram no lombo de cavalos por setenta quilômetros, passando pelo povoado de S. Caetano da Raposa e pela vila de Belo Jardim. Os cavalos e seus tratadores foram alugados em Caruaru, sendo que seis animais, entre eles a montaria do bispo de Olinda, foram cedidos mediante empréstimo por paroquianos caruaruenses. A expedição durou mais de dois dias de viagem, com as montarias cansadas de tão longa jornada por caminhos lamacentos, pela caatinga fechada e enfrentando a garoa própria do inverno agrestino. Sempre que possível apeavam de suas montarias em locais onde se pudesse fazer o fogo para fazer o café, quase sempre acompanhado de pães e bolos de milho abastecidos em Caruaru. 


No almoço quase sempre era servida a carne seca chamada "ceará", acompanhada de farinha de mandioca, alimento bem apreciado por Dom Luiz, um cearense nato e apreciador das comidas simples, porém bem temperadas. Também eram servidos ao bispo e auxiliares principais o vinho português e o chamado queijo do reino. Iguarias apreciadas pelos mais abastados. Essas provisões eram transportadas em dois burros que seguiam a comitiva em passo lento, próprio de quem suportava grande carga. Para se protegerem da poeira da estrada, os cavaleiros mais finos eram obrigados a usar guarda-pó para a proteção de suas batinas.


Na tarde do dia 2 de agosto de 1902, a comitiva divisou, na altura do Agra, a bela e imponente igreja de São Bom Jesus do Pobres Aflitos, toda caiada, assim como as demais casas da nova cidade. Aliás, as posturas municipais obrigavam todos os moradores a caiarem suas casas e estabelecimentos a partir de setembro de cada ano, porém o povo resolveu antecipar a caiação para que o emérito bispo visse que seu rebanho o recebia de braços abertos, numa cidade de casinhas simples, porém limpas, como limpas também estavam as ruas que à noite eram iluminadas por lampiões a querosene. Avistar a bela igreja com sua imponente torre foi um momento de viva emoção para todos que, seguindo gesto espontâneo de Dom Luiz Brito, se curvaram e agradeceram chegar sem nenhum acidente à nova e hospitaleira cidade de S. Bento.


Os cavalos da comitiva desceram a ladeira vagarosamente, cansados, estropiados e sedentos. Enquanto a comitiva apeava, os animais, conduzidos pelos tratadores, saciaram a sede nas águas empoçadas do rio Una. Do outro lado da barragem, a Filarmônica são-bentense, sob o comando do alferes da Guarda Nacional, Liberato Augusto de Siqueira, estava a postos aguardando a passagem de tão ilustre prelado ao som da triunfal "Marcha de Radetzky", de Strauss, peça de difícil execução, que foi exaustivamente ensaiada durante meses pelos músicos são-bentenses. Alunos da escola de instrução primária do professor Ricardo Santana agitavam bandeirinhas do Brasil num gesto de profundo respeito em agradecimento à visita de tão ilustre prelado e professor de elevados méritos tanto do Colégio Militar como do Colégio Pedro II da então capital da República.


Do Largo da Matriz, todo enfeitado de bandeirinhas multicoloridas, o povo, ansioso, aguardava com sentido entusiasmo o seu bispo, o bispo de Olinda, um dos prelados de maior prestígio e de importância do Brasil daquele tempo. As autoridades municipais, representadas pelo prefeito e membros do Conselho; o juiz da comarca, Dr Eduardo Correia da Silva; o promotor de justiça, Dr. Augusto Sílvio Barreto; o juiz municipal, Dr. Ildefonso Xavier Rodrigues Esteves; o pároco são-bentense, padre Joaquim Alfredo da Costa Pereira, bem como integrantes da "Sociedade 21 de Março", entre outros o major da Guarda Nacional, José Bento e os comerciantes Rodolfo Monteiro Paiva e Jerônimo de Moraes, saudaram efusivamente o ilustre visitante e sua comitiva ao som de marchas e de hinos sacros executados com esmero pela Filarmônica, dando-lhe as boas vindas. Repetidas salvas de foguetões deixam no ar enfumaçado o cheiro festivo de pólvora. E o maravilhoso e saudoso sino principal da igreja comandava o dobre de sinos, sinalizando a alegria  e o regozijo de um povo bom, ordeiro, trabalhador e religioso ao extremo.


Quando dom Luiz, finalmente, chegou aos degraus mais altos do templo católico, do meio do povo, ouviram-se vivas e mais vivas à figura tão ilustre que vinha visitar o seu rebanho. Na sua grande maioria, pessoas simples dos sítios e da cidade nas suas alvas roupinhas, feitas de pano de saco de açúcar, saúdam e acenam, com todo o carinho, seus chapéus de palha e lenços. O major da Guarda Nacional, Quintino Alves da Silva Valença, emérito orador, proferiu um dos seus mais brilhantes e comovedores discursos de sua vida de rábula, ao tempo em que Dom Luiz, visivelmente emocionado e cansado de tão longa jornada, agradeceu as palavras do major Quintino que falou em nome do povo da nova cidade de S. Bento. Palmas e vivas a Deus, a Cristo e a Igreja reboaram pelos quatro cantos em profusão, durante minutos, numa sensação sincera de regozijo a este grande momento vivido pelo povo bom e hospitaleiro de nossa S. Bento.


Após a magnífica recepção, o bispo recolhe-se à casa paroquial para descanso, pois que nos dias seguintes teria muitas atividades religiosas e missas para o seu rebanho. Seus auxiliares mais próximos foram acomodados no sobrado ao lado da torre da Matriz, que pertencia ao tenente-coronel da Guarda Nacional, Elias Coelho Cintra. Outros integrantes foram acolhidos nas residências dos comerciantes José Hemetério do Nascimento e de Esperidião Guilherme de Azevedo, o primeiro dono de uma padaria anterior à de Rodolfo Paiva e o segundo proprietário de uma loja de fazendas e miudeza. Os animais de sela e de carga, bem como seus tratadores ficaram arranchados na fazenda Caiana que era propriedade do coronel João de Oliveira Cintra, na época, prefeito municipal. 


A maior solenidade presidida pelo bispo D. Luiz Brito na sua viagem ao interior aconteceu na igreja-matriz do Senhor Bom Jesus dos Pobres Aflitos, em S. Bento, no dia 4 de agosto de 1902, uma segunda-feira, quando, dispensados as proclamas e alguns impedimentos, receberam o sacramento do matrimônio nada menos que setenta e dois casais, conforme se pode ler nos registros às folhas 81, 82 e 83, do Livro de Casamentos n. 5, assinado pelo vigário Joaquim Alfredo da Costa Pereira. Essa macro-cerimônia nupcial foi testemunhada por mais de duas centenas de pessoas, entre elas Francisco Cadete de Almeida, cujo verdadeiro nome era Francisco de Almeida Calado, capitão de um dos três batalhões da Guarda Nacional sediados na cidade. Nesse histórico dia, quase toda a população da cidade e de sítios próximos esteve presente, tomando quase que por completo o Largo da Matriz, até então o principal logradouro da cidade.


Luiz Raimundo da Silva Brito foi o 25º titular da diocese de Olinda, criada no século XVII, que ia do Piauí, ao Norte, até o rio São Francisco, ao Sul. Depois de vários desmembramentos, para a criação de dioceses nas capitais nordestinas, a partir de 1901 a diocese de Olinda passou a abranger apenas o território pernambucano.


Dom Luiz nasceu no Maranhão em 24/08/1840 e foi ordenado sacerdote em 1864 Foi vigário da cidade de Caxias, capelão-cantor e mestre de cerimônias da catedral de São Luís, além de reitor e lente do seminário. Mais tarde, ele exerceu o cargo de vigário de Niterói, professor do Colégio Militar e reitor do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, quando lhe foram dadas as honras de monsenhor. Era vigário-geral da arquidiocese do Rio de Janeiro quando foi eleito bispo de Olinda em 18/01/1901.


A propósito do fato, disse Sebastião de Vasconcelos Galvão, no seu Dicionário Corográfico: "A 30 de maio de 1901 chegou ao Recife, onde ansiosamente, em massa compacta, o povo pernambucano o esperava, entre ruidosa alegria, para admirar-lhe o esplêndido talento, sentir-lhe o coração grandemente bondoso, humilde e meigo, e ouvir o orador, cuja reputação notável vinha já de longe, e que na tribuna sagrada brasileira, depois de Mont´Alverne e de D. João Esberard, o inesquecível bispo olindense não tinha quem lhe levasse vantagem". Tomou posse no dia 01/07/1901. Anos mais tarde, isto é, em 05/12/1910, o bispado de Olinda é promovido à arquidiocese, com Dom Luiz como arcebispo.


Na sua administração episcopal, foram criadas várias freguesias na capital e cidades do interior de Pernambuco. Construiu, reconstruiu e reformou inúmeros templos entre eles a Sé de Olinda e visitava com freqüência as freguesias por mais distantes que fossem. Ele pertenceu associações civis e religiosas e ao falecer, em 09/12/1916, era o presidente do Instituto Arqueológico e Geográfico Pernambucano. 


Dom Luiz Brito foi uma figura excepcional do seu tempo. Um homem de cultura vastíssima. Era sacerdote de grande prestígio na então corte imperial, sendo que em 1878 foi nomeado cônego da Capela Imperial e em 1881 foi nomeado teólogo da Nunciatura Apostólica, pelo núncio Moccine que mais tarde se tornaria cardeal.


Nossa cidade de São Bento teve o privilégio de hospedar e ouvir a palavra fluente de Dom Luiz Brito, logo no ano seguinte ao do início do seu ministério. Dom Luiz foi um homem de excepcionais qualidades em todos os sentidos e, também, aquele que foi o último bispo de Olinda e, igualmente, o primeiro arcebispo da arquidiocese que mais tarde seria a Arquidiocese de Olinda e Recife, única no mundo a ostentar o nome de duas cidades. 


Só com a criação do bispado de Garanhuns, em 26 de outubro de 1919, com a nomeação de dom João Tavares de Moura, foi que nossa freguesia do Senhor Bom Jesus dos Pobres Aflitos passou a fazer da diocese de Garanhuns. 


Em resumo, dom Luiz Brito foi um dos mais distintos prelados da Igreja Católica não só do Brasil como de todo o mundo, não só pelas suas qualidades espirituais e morais de pastor de almas, como, também, pela sua viva inteligência e capacidade de entender os fenômenos da ciência.


Sua visita a S. Bento, nos idos de 1902, foi um marco na nossa história, dando início a nova era não só por ser um homem urbano de elevada cultura, mas pela sua preocupação com seu rebanho, vindo a uma paróquia tão longe e enfrentando as longas jornadas a cavalo por estradas as mais críticas e desconfortáveis.


 



... 



Para críticas, sugestões e elogios, não tenha receio de escrever para o autor, cujo correio eletrônico é orlandocalado@yahoo.com.br.



Para ver fotos recentes de São Bento e de pessoas antigas e atuais da cidade, acesse o sítio www.orlandocalado.flogbrasil.terra.com.br, bastando, para tanto, clicar com o "ratinho"em cima do link em cor diferenciada quando aparecer a mãozinha.



 



 



 



 



 



 



 



 



 

Pau Amarelo PE 6 de outubro de 2007

Orlando Calado é bacharel em direito.


Colunas anteriores:

Coluna 246 - 16/07/2017 - Cronologia de São Bento do Una,1ª Edição
Coluna 245 - 10/05/2017 - Pleito de gratidão a Dirceu e Ludgero
Coluna 244 - 14/04/2017 - Historia Municipal - A morte do mesário eleitoral
Coluna 243 - 13/02/2017 - Treze anos sem Sebastião Soares Cintra
Coluna 242 - 27/01/2017 - Injustiça imperdoável
Coluna 241 - 22/01/2017 - Sem memória não há História
Coluna 240 - 18/12/2016 - Felipe Manso, o prefeito que não foi
Coluna 239 - 05/12/2016 - Osvaldo Maciel, um grande Homem
Coluna 238 - 30/11/2016 - O Açude do Doutor Olavo
Coluna 237 - 24/11/2016 - São Bento, vida política e administrativa em 1930
Coluna 236 - 20/06/2016 - Cadê as coisas que deixei?
Coluna 235 - 14/06/2016 - O Sindicato Pastoril de S. Bento, um avanço para a época
Coluna 234 - 07/06/2016 - Esmeraldino Bandeira, um esquecido na nossa História
Coluna 233 - 05/06/2016 - Tributo ao prefeito Manoel Cândido, de São Bento
Coluna 232 - 29/05/2016 - Agamenon Magalhães e São Bento do Una
Coluna 231 - 11/09/2015 - As meretrizes da São Bento dos velhos tempos
Coluna 230 - 30/04/2015 - Por que nossa data magna municipal é o 30 de abril?
Coluna 229 - 06/02/2015 - Rodolfo Paiva, um são-bentense honorário
Coluna 228 - 03/01/2015 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (6)
Coluna 227 - 02/01/2015 - Monsenhor José de Anchieta Callou
Coluna 226 - 27/12/2014 - Padre Joaquim Alfredo, um mártir
Coluna 225 - 19/09/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (5)
Coluna 224 - 29/07/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (4)
Coluna 223 - 15/07/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (3)
Coluna 222 - 23/06/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (2)
Coluna 221 - 05/06/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (1)
Coluna 220 - 15/05/2014 - Uma pena: Clávio de Melo Valença nos deixou
Coluna 219 - 13/05/2014 - O que foi feito de nossas coisas antigas? Cadê?
Coluna 218 - 12/05/2014 - Zé Bico e Beni, dois são-bentenses notáveis
Coluna 217 - 09/04/2014 - Cícero Romão Batista, o santo do Nordeste do Brasil
Coluna 216 - 17/10/2013 - É hora de o político abrir os olhos
Coluna 215 - 02/10/2013 - A elite reacionária de ontem, de hoje e de sempre
Coluna 214 - 06/09/2013 - Custa caro um deputado federal pernambucano
Coluna 213 - 18/07/2013 - É duro ser um brasileiro comum, pagador de impostos
Coluna 212 - 14/07/2013 - Considerações várias sobre uma pequena cidade
Coluna 211 - 29/06/2013 - Lêucio Mota, estadista são-bentense do Una
Coluna 210 - 27/06/2013 - Nobre é a missão do professor
Coluna 209 - 21/06/2013 - Este País parece que não tem jeito mesmo
Coluna 208 - 16/06/2013 - Apolônio Sales, estadista brasileiro, o homem que tirou o Nordeste das trevas
Coluna 207 - 06/06/2013 - Registro histórico da posse de Gilvan Lemos na APL
Coluna 206 - 14/05/2013 - A grande seca de 2013
Coluna 205 - 06/05/2013 - Quebra de sigilo bancário
Coluna 204 - 30/04/2013 - Datas notáveis de São Bento do Una, edição revista e ampliada
Coluna 203 - 26/04/2013 - E as bombas da maratona de Boston?
Coluna 202 - 16/01/2012 - Enaltecendo São Bento e a Festa dos Santos Reis
Coluna 201 - 30/04/2011 - São Bento do Una: 151 anos de governo próprio
Coluna 200 - 05/04/2011 - Padre João Rodrigues, o semeador de templos
Coluna 199 - 15/10/2010 - O espírito pioneiro são-bentense do Una (1)
Coluna 198 - 22/07/2010 - Jackson do Pandeiro, o ritmista virtuoso
Coluna 197 - 13/04/2010 - Datas notáveis de S. Bento do Una desde os primórdios ao centenário de sua emancipação política em 1960
Coluna 196 - 28/02/2010 - Legado à posteridade
Coluna 195 - 22/01/2010 - Considerações finais a respeito do Governo Provisório da República de 1889
Coluna 194 - 30/12/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (37) (Fim da Série)
Coluna 193 - 20/12/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (36)
Coluna 192 - 09/12/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (35)
Coluna 191 - 02/12/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (34)
Coluna 190 - 25/11/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (33)
Coluna 189 - 18/11/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (32)
Coluna 188 - 11/11/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (31)
Coluna 187 - 04/11/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (30)
Coluna 186 - 27/10/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (29)
Coluna 185 - 21/10/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (28)
Coluna 184 - 14/10/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (27)
Coluna 183 - 07/10/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (26)
Coluna 182 - 30/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (25)
Coluna 181 - 23/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (24)
Coluna 180 - 16/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (23)
Coluna 179 - 09/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (22)
Coluna 178 - 02/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (21)
Coluna 177 - 26/08/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (20)
Coluna 176 - 19/08/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (19)
Coluna 175 - 12/08/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (18)
Coluna 174 - 05/08/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (17)
Coluna 173 - 29/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (16)
Coluna 172 - 22/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (15)
Coluna 171 - 16/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (14)
Coluna 170 - 08/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (13)
Coluna 169 - 01/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (12)
Coluna 168 - 25/06/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (11)
Coluna 167 - 17/06/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (10)
Coluna 166 - 09/06/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (9)
Coluna 165 - 27/05/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (8)
Coluna 164 - 17/05/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (7)
Coluna 163 - 29/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (6)
Coluna 162 - 22/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (5)
Coluna 161 - 15/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (4)
Coluna 160 - 08/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (3)
Coluna 159 - 01/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (2)
Coluna 158 - 21/03/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (1)
Coluna 157 - 25/02/2009 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (14) (final da série)
Coluna 156 - 22/11/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (13)
Coluna 155 - 08/11/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (12)
Coluna 154 - 25/10/2008 - S.Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (11)
Coluna 153 - 18/10/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (10)
Coluna 152 - 11/10/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (9)
Coluna 151 - 27/09/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (8)
Coluna 150 - 20/09/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (7)
Coluna 149 - 13/09/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (6)
Coluna 148 - 06/09/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (5)
Coluna 147 - 30/08/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (4)
Coluna 146 - 24/08/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (3)
Coluna 145 - 16/08/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (2)
Coluna 144 - 09/08/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (1)
Coluna 143 - 02/08/2008 - O presídio de Fernando de Noronha e seu regime jurídico no final do Império (3/3)
Coluna 142 - 19/07/2008 - O presídio de Fernando de Noronha e seu regime jurídico no final do Império (2/3)
Coluna 141 - 12/07/2008 - O presídio de Fernando de Noronha e seu regime jurídico no final do Império (1/3)
Coluna 140 - 05/07/2008 - As comarcas de Pernambuco, do Sertão e do Rio de S. Francisco e a separação da última da província de Pernambuco
Coluna 139 - 28/06/2008 - A extraordinária figura de Dom João VI, primeiro e único rei do Brasil
Coluna 138 - 21/06/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (25) - O trabalho servil e as suas conseqüências danosas que fazem do Brasil um país de povo pobre
Coluna 137 - 14/06/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (24) - A abolição da escravatura no Ceará, a povoação de Boa Viagem do Recife entre outros assuntos
Coluna 136 - 07/06/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (23) - A crise no abastecimento de água no Recife. Relatório do governo: as chuvas diminuem a bandidagem
Coluna 135 - 31/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (22) - O projeto de lei de Joaquim Nabuco abolindo a escravidão e a chamada Lei Saraiva que restringiu o voto
Coluna 134 - 24/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (21) - Ainda os efeitos da grande seca na Vila de S. Bento; o Ginásio Pernambucano em 1879
Coluna 133 - 17/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (20) - Os efeitos da grande seca em São Bento
Coluna 132 - 10/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (19) - A corrupçao na vida pública; o espírito empreendedor do barão de Mauá
Coluna 131 - 03/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (18) - A terrível seca dos três sete
Coluna 130 - 26/04/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (17) - A inauguração do palacete da rua da Aurora enquanto a febre amarela grassa em Pernambuco
Coluna 129 - 19/04/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (16) - A revolução nas comunicações e o desfecho da Questão Religiosa
Coluna 128 - 12/04/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (15) - Dom Vital e a Questão Religiosa
Coluna 127 - 05/04/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (14) - A Lei do Ventre Livre
Coluna 126 - 29/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (13) - A Guerra do Paraguai
Coluna 125 - 22/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (12) - A Guerra do Paraguai
Coluna 124 - 15/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (11)
Coluna 123 - 08/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (10)
Coluna 122 - 01/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (9)
Coluna 121 - 23/02/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (8)
Coluna 120 - 16/02/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (7)
Coluna 119 - 09/02/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (6)
Coluna 118 - 02/02/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (5)
Coluna 117 - 26/01/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (4)
Coluna 116 - 19/01/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (3)
Coluna 115 - 11/01/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (2) O Diario de Pernambuco na História do Brasil
Coluna 114 - 29/12/2007 - Pingos de história do Império Brasileiro (1) - A chegada ao Brasil da família imperial portuguesa
Coluna 113 - 22/12/2007 - A Bíblia, um livro de inúmeras histórias
Coluna 112 - 15/12/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (34)
Coluna 111 - 08/12/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (33)
Coluna 110 - 01/12/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (32)
Coluna 109 - 24/11/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (31)
Coluna 108 - 17/11/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (30)
Coluna 107 - 10/11/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (29)
Coluna 106 - 03/11/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (28)
Coluna 105 - 27/10/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (27)
Coluna 104 - 20/10/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (26)
Coluna 103 - 13/10/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (25)
Coluna 102 - 06/10/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (24)
Coluna 101 - 29/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (23)
Coluna 100 - 23/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (22)
Coluna 99 - 15/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (21)
Coluna 98 - 08/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (20)
Coluna 97 - 01/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (19)
Coluna 96 - 25/08/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (18)
Coluna 95 - 18/08/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (17)
Coluna 94 - 11/08/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (16)
Coluna 93 - 04/08/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (15)
Coluna 92 - 28/07/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (14)
Coluna 91 - 21/07/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (13)
Coluna 90 - 14/07/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (12)
Coluna 89 - 07/07/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (11)
Coluna 88 - 30/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (10)
Coluna 87 - 23/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (9)
Coluna 86 - 16/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (8)
Coluna 85 - 09/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (7)
Coluna 84 - 02/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (6)
Coluna 83 - 26/05/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (5)
Coluna 82 - 19/05/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (4)
Coluna 81 - 12/05/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (3)
Coluna 80 - 05/05/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (2)
Coluna 79 - 28/04/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (1)
Coluna 78 - 21/04/2007 - A Guarda Nacional da Vila e Município de São Bento
Coluna 77 - 14/04/2007 - Fatos & gente são-bentenses das décadas de 1930 e 1940
Coluna 76 - 07/04/2007 - Uma breve visita à nossa querida São Bento do Una
Coluna 75 - 31/03/2007 - Planejamento familiar no Brasil: uma necessidade inadiável
Coluna 74 - 24/03/2007 - Hoje, meio século de uma tragédia são-bentense
Coluna 73 - 17/03/2007 - "Eu vi o mundo... Ele começava no Recife"
Coluna 72 - 10/03/2007 - Reminiscências de um menino de São Bento (7)
Coluna 71 - 03/03/2007 - Um fazendeiro são-bentense do século XIX
Coluna 70 - 24/02/2007 - O Rio de Janeiro será sempre o Rio de Janeiro
Coluna 69 - 17/02/2007 - Gilvan Lemos, simplesmente um escritor
Coluna 68 - 10/02/2007 - A Great Western da minha meninice: uma pequena história
Coluna 67 - 03/02/2007 - A declaração universal dos direitos humanos
Coluna 66 - 27/01/2007 - A revolta da chibata
Coluna 65 - 20/01/2007 - A revolta da vacina
Coluna 64 - 13/01/2007 - Apolônio Sales, um estadista de grande valor
Coluna 63 - 06/01/2007 - 2006: Um ano de saldo positivo apesar do pouco crescimento econômico
Coluna 62 - 30/12/2006 - A "Batalha da Borracha", um episódio esquecido da história do Brasil
Coluna 61 - 23/12/2006 - Alguns suicidas famosos (2/2)
Coluna 60 - 16/12/2006 - Alguns suicidas famosos (1/2)
Coluna 59 - 09/12/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (16)
Coluna 58 - 02/12/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (15)
Coluna 57 - 25/11/2006 - Congresso Nacional perdulário, povo paupérrimo
Coluna 56 - 18/11/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (14)
Coluna 55 - 15/11/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (13)
Coluna 54 - 14/10/2006 - Modos de falar diferentes no Brasil e em Portugal (4/4)
Coluna 53 - 07/10/2006 - Modos de falar diferentes no Brasil e em Portugal (3/4)
Coluna 52 - 30/09/2006 - Modos de falar diferentes no Brasil e em Portugal (2/4)
Coluna 51 - 23/09/2006 - Modos de falar diferentes no Brasil e em Portugal (1/4)
Coluna 50 - 16/09/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (12)
Coluna 49 - 09/09/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (11)
Coluna 48 - 02/09/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (10)
Coluna 47 - 26/08/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (9)
Coluna 46 - 08/07/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (8)
Coluna 45 - 01/07/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (7)
Coluna 44 - 24/06/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (6)
Coluna 43 - 17/06/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (5)
Coluna 42 - 10/06/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (4)
Coluna 41 - 03/06/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (3)
Coluna 40 - 27/05/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (2)
Coluna 39 - 20/05/2006 - Reminiscências de um menino de São Bento (6)
Coluna 38 - 13/05/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (1)
Coluna 37 - 06/05/2006 - Reminiscências de um menino de São Bento (5)
Coluna 36 - 29/04/2006 - Os planetas e seus satélites
Coluna 35 - 22/04/2006 - As impropriedades do quotidiano do brasileiro (2)
Coluna 34 - 15/04/2006 - As impropriedades do quotidiano do brasileiro (1)
Coluna 33 - 08/04/2006 - Nome de rua não deve ser mudado
Coluna 32 - 01/04/2006 - Brasil, nova potência petrolífera mundial!
Coluna 31 - 25/03/2006 - Reminiscências de um menino de São Bento (4)
Coluna 30 - 18/03/2006 - Biodiesel: um combustível social e ecológico
Coluna 29 - 11/03/2006 - Os livros de Sebastião Cintra
Coluna 28 - 04/03/2006 - Um sábado sangrento no Recife
Coluna 27 - 25/02/2006 - O início do resgate da nossa dívida social
Coluna 26 - 18/02/2006 - Fim da pobreza mundial até 2015
Coluna 25 - 11/02/2006 - Reminiscências de um menino de São Bento (3)
Coluna 24 - 04/02/2006 - Aspectos gerais da lei de responsabilidade fiscal
Coluna 23 - 28/01/2006 - Pernambuco começa a sair da letargia
Coluna 22 - 21/01/2006 - Perfil demográfico no mundo rico
Coluna 21 - 14/01/2006 - Brasil, potência mundial em 2020
Coluna 20 - 07/01/2006 - Os gatunos da esperança
Coluna 19 - 31/12/2005 - Josué Severino, o mestre e a Banda Santa Cecília
Coluna 18 - 24/12/2005 - Reminiscências de um menino de São Bento (2)
Coluna 17 - 17/12/2005 - Pequenas idéias para o desenvolvimento de São Bento do Una
Coluna 16 - 10/12/2005 - Do Estado pouco ou nada espero
Coluna 15 - 04/12/2005 - A América do Sul e o nazismo
Coluna 14 - 27/11/2005 - A Venezuela bolivariana de hoje
Coluna 13 - 26/11/2005 - Reminiscências de um menino de São Bento (1)
Coluna 12 - 13/11/2005 - A crise argentina
Coluna 11 - 13/11/2005 - A saga de Delmiro Gouveia
Coluna 10 - 10/11/2005 - O velho na legislação brasileira
Coluna 9 - 31/10/2005 - O projeto São Francisco
Coluna 8 - 24/10/2005 - Correio eletrônico, maravilha do nosso tempo
Coluna 7 - 13/10/2005 - Um século sem presidente paulista
Coluna 6 - 09/10/2005 - O Grande Pronome 'Lhe' Morreu!
Coluna 5 - 29/09/2005 - Brasil 2005 - Uma Economia Mais Forte
Coluna 4 - 22/09/2005 - As Vestais da Moralidade Pública
Coluna 3 - 15/09/2005 - Mordomia & Nepotismo
Coluna 2 - 07/09/2005 - Tratamento de Excelência
Coluna 1 - 07/08/2005 - Hiroshima - uma covardia inominável


©2003-2017 - Portal São Bento do Una