Nublado a parcialmente nublado com chuva fraca

Máxima: 30 ºC
Mínima: 18 ºC

Navegando: Indisponível

Coluna 235: O Sindicato Pastoril de S. Bento, um avanço para a época
Publicada dia 14 de Junho de 2016

O Sindicato Pastoril de S. Bento, um avanço para a época

Sob os mais diversos campos e aspectos da atividade humana, é inegável a capacidade empreendedora e inovadora de nossa gente. Exemplos de pioneirismo não faltam ao longo de nossa História. Se não, vejamos algumas iniciativas: fundação da Banda Musical Santa Cecília (1854); inauguração do Mercado Público (1887); criação de três batalhões da Guarda Nacional (1896); inauguração da iluminação pública por lampiões a gás (1899); fundação da Sociedade 21 de Março (1900), construção do hipódromo Bela Vista (1900); instituição do “Sindicato Pastoril” (1911); instalação do telégrafo nacional (1919); luz elétrica (1925); Cine Paraíso (1925); Tiro de Guerra (1935);União Sport Club (1937); grupo de escoteiros; times femininos de voleibol (1940); construção de uma moderna prefeitura (1940); serviço de alto-falantes (1942); Cineteatro Rex (1946); campo de aviação da fazenda Agra (1947); Grupo de Teatro de Amadores (1952).

Documentos antigos e recortes de jornais nos contam a saga são-bentense para que a linha férrea passasse pela cidade. Tentativas várias. Registro pelos menos três. A primeira delas ocorreu quando foi anunciado o prolongamento da Estrada de Ferro Central de Pernambuco de Caruaru a Pesqueira pelos idos de 1890 e a linha férrea já estava em São Caetano. Houve um abaixo-assinado ao governador de Pernambuco enumerando as peculiaridades de São Bento como lugar aonde centenas de pessoas vinham tentar a cura de doenças respiratórias em razão da altitude e pureza do ar, além de município onde a criação do gado bovino estava em desenvolvimento e que a passagem da linha férrea por São Bento não iria encarecer o projeto, de vez que a topografia do trecho era bastante favorável e sem aumentos significativos de custos. Toda a argumentação foi em vão.

Houve ainda, nos anos iniciais do século 20 (1909) outra tentativa de idealistas são-bentenses para fazer chegar o trem à cidade. Desta feita, a reivindicação foi de um ramal a partir da vila de Angelim, então município de Garanhuns, e a argumentação apresentada foi a de que o município de São Bento já despontava como grande produtor de queijo e manteiga o que facilitaria sobremodo o escoamento da produção para o Recife e Maceió. Tudo debalde.

É bem verdade que esse desejo de ver passar o trem pelo nosso município vem desde a segunda metade do século 19, quando, na Assembleia Legislativa Provincial de Pernambuco, foi apresentado projeto, pelo deputado José Moreira Alves, modificando o contrato de construção da Estrada de Ferro Bonito a Pesqueira, de modo que a linha férrea passasse pela vila de São Bento, projeto tal que resultou na Lei Provincial n° 1769, de 21 de junho de 1883. Esse empreendimento quer nos parecer que não foi levado a efeito. Parecia debalde, como de fato o foi a passagem do trem por São Bento, mas que fique consignado os esforços dos idealistas são-bentenses que tentaram essa conquista.

Infelizmente hoje as ferrovias foram para o vinagre. Um país continental com o Brasil precisa de ferrovias de Norte a Sul e de Leste para Oeste. Mas, a praga do automobilismo fê-las sucumbir, a um custo altíssimo, e o governo da República teve que investir numa malha rodoviária básica, para atender às exigências contratuais da indústria automobilística que aqui se instalou, trazendo projetos de veículos que não deram certo nos Estados Unidos e Europa Ocidental. Juscelino Kubistchek, tão decantado nos breves e enganadores resumos dos livros escolares, foi um dos piores presidentes de mandato inteiro, se não o pior, que tivemos ao longo de nossa conturbada vida republicana, haja vista os desacertos como a implantação dessa indústria que trouxe para o nosso país o lixo ou o que de pior existia naquelas plagas em termos de automóveis. Além do mais, a inflação deixada por JK mergulhou o país em crises como a que desencadeou na renúncia do presidente Jânio Quadros, na deposição do presidente João Goulart e na longa noite da ditadura militar que durou vinte e um anos, totalizando mais de trinta anos de inflação galopante, motivada principalmente pela construção de Brasília que “raspou” a poupança dos institutos de previdência como IAPB, IAPC, IAPI, IAPETEC e outros, mais tarde reunidos num único instituto, o INPS, hoje INSS, quando 90% dos trabalhadores contribuíam e apenas o restante estava aposentado. Esse presidente solapou as reservas técnicas da previdência social com essa coisa chamada de Brasília. Ele desmantelou nosso sistema ferroviário, construiu Brasília e implantou uma indústria automobilística e nós pagamos alto preço tanto pela instabilidade política e inflação galopante, sendo esta última durou até 1994 com a implantação de novo padrão monetário, o Real.

Mas, nós são-bentenses ainda temos um leve fio esperança com a Ferrovia Transnordestina que tem no seu traçado a previsão de passar pelo município de São Bento, cortando o distrito do Espírito Santo. Se tal, pelo menos ocorrer, nós podemos dizer que o sonho de ver passar pelo município de São Bento um trem, mesmo que seja um cargueiro, será concretizado e nosso município ficará mais perto do complexo industrial e portuário de Suape.

Feitas estas sucintas considerações em que relembramos algumas facetas do povo de São Bento sempre no sentido da inovação e do pioneirismo, voltemos a um fato interessante, ocorrido há mais de um século, refiro-me à constituição definitiva do Sindicato Pastoril do Município de São Bento que se verificou no dia 17 de setembro de 1911.

Reunidos na cidade e na casa de residência do coronel João de Oliveira Valença, estiveram presentes os seguintes cidadãos: padre Joaquim de Albuquerque Carvalho Melo, pároco da freguesia do Bom Jesus; coronel Antônio Cordeiro da Fonseca; tenentes-coronéis Esperidião Guilherme de Azevedo e Gregório Simões de Macedo; majores Domingos Ferreira de Morais, Caetano Soares dos Santos, Caetano de Oliveira Cintra, Rodolfo Monteiro de Paiva, Miguel David Moreira e Félix de Barros Pinto; capitães Balbino Guilherme de Azevedo, Francisco de Almeida Calado, Odilon Claudino de Almeida Valença e José Claudino de Almeida Valença; senhores José Bento de Oliveira, Adalberto de Oliveira Paiva, Bento Correia Crespo, José Fernandes Xavier de Lima, Cirilo Veloso da Silva, Eutrópio Guilherme de Azevedo, Virgílio de Oliveira Paiva, Antônio Carlos de Queiroz Barros, Antônio Muniz de Melo, Ernesto Alves da Silva Valença e Odilon Barbosa Maciel, todos residentes no município de São Bento.

Por aclamação, dirigiu os trabalhos o anfitrião, coronel João de Oliveira Valença, que convidou Adalberto de Oliveira Paiva para secretariar a histórica assembleia de fazendeiros negociantes, todos vivamente interessados em dotar nosso município de uma pecuária moderna com matrizes e reprodutores de alta qualidade e muitas vezes cruzando com o gado crioulo, herança da colonização portuguesa.

Expostos pelo presidente os fins da reunião, foram apresentados e discutidos e, por fim, aprovados os Estatutos do Sindicato Pastoril. Em seguida, após ser servido o cafezinho, procedeu-se à escolha dos sete membros da diretoria que ficou assim constituída: presidente, Domingos Ferreira de Morais; 1º e 2º vice-presidentes: Odilon Claudino de Almeida Valença e Antônio Carlos de Queiroz Barros; secretário-geral, Adalberto de Oliveira Paiva; 1º e 2º adjuntos do secretário-geral: Virgílio de Oliveira Paiva e Balbino Guilherme de Azevedo; tesoureiro: Esperidião Guilherme de Azevedo, os quais tomaram posse nos cargos imediatamente.

Assumindo a presidência do Sindicato Pastoril do Município de São Bento, Domingos Ferreira de Morais agradeceu a confiança com que o distinguiram, congratulando-se pela criação de tão futurosa instituição que iniciará uma era de prosperidade para o município e seus habitantes.
O Sindicato Pastoril teve seu capital de 50 contos de réis, dividido em 500 ações de 100 mil réis, sendo que no dia da fundação já tinham sido tomadas e subscritas 100 ações. Na ocasião, informou-se que para o estabelecimento do sindicato estava contratada a propriedade que fica a duas léguas do nascente da cidade entre i rio Uma e i riacho do Gado Bravo na qual o sindicato construiria dois açudes. Além disso, estavam projetadas as construções necessárias a uma fazenda-modelo de criação de gado. Como era de se esperar, os empreendedores ficaram certo de que os governos, federal e estadual, viessem em auxílio do sindicato.
...

O sindicato foi constituído como uma entidade de cunho patronal, englobando comerciantes e agricultores em conformidade com os decretos presidenciais de 06.01.1903 e de 21.10.1909 e lei estadual de Pernambuco nº 940, de 08.01.1098. O sindicato tinha sede no município de São Bento e prazo indeterminado de funcionamento, só podendo ser dissolvido pela unanimidade dos sócios ou quando o número de sócios ficasse reduzido a menos de dez num espaço de tempo de um ano.

Para a consecução dos seus objetivos sociais, o sindicato se obrigava a adquirir terrenos pelo menos de uma légua de quadro e situados no município e nesses terrenos fazer as edificações para o seu pleno funcionamento. Também, construir cercados com a precisa extensão e largura para refrigério do gado; construir dois açudes na propriedade; cultivar plantas forrageiras em quantidade bastante para o sustento do gado nas estações de estio; obter reprodutores de raça de gado vacum, cavalar e muar que melhor pudessem aclimar na zona sertaneja. Outros objetivos a ser colimados com assistência do governo estadual: obter gado lanígero e cabrum de boas raças e de melhor interesse econômico; promover a melhora das raças animais por meio de cruzamento do gado estrangeiro com o gado crioulo; criar e manter no estabelecimento o fabrico de queijo e de manteiga pelos processos modernos; fazer plantações junto aos açudes; manter uma biblioteca de obras concernentes à agricultura e à indústria pastoril; contratar um veterinário e um pecuário para o estabelecimento; adquirir mecanismos próprios ao fabrico do queijo e da manteiga.

A diretoria tinha mandato de três anos. Havia três categorias de sócios: fundadores (os que assistiram à sessão de instalação e subscreveram pelo menos uma ação), adesistas (os que entraram depois e subscreveram pelo menos uma ação) e honorários (os que doassem ao sindicato pelo menos a quantia de 500 mil-réis ou com objeto de valor equivalente).
1ª diretoria:
Presidente: Domingos Ferreira de Morais, fazendeiro, Fazenda Timorante;
1° vice-presidente: Odilon Claudino de Almeida Valença, fazendeiro, Fazenda Velha-Anna;
2° vice-presidente: Antônio Carlos de Queiroz Barros, fazendeiro, fazenda Caracol;
Secretário-geral: Adalberto de Oliveira Paiva, negociante na cidade;
1° adjunto do secretário: Virgílio de Oliveira Paiva, negociante na cidade;
2º adjunto do secretário: Balbino Guilherme de Azevedo, negociante na cidade e
Tesoureiro: Esperidião Guilherme de Azevedo, negociante na cidade.
Lista dos sócios fundadores:
01 – Domingos Ferreira de Morais, 02 – Odilon Claudino de Almeida Valença, 03 – Antônio Carlos de Queiroz Barros, 04 – Adalberto de Oliveira Paiva, 05 – Virgílio de Oliveira Paiva; 06 – Balbino Guilherme de Azevedo; 07 – João de Oliveira Valença; 08 – José Bento de Oliveira, 09 – Caetano Soares dos Santos. 10 – Padre Joaquim de Albuquerque Carvalho Melo, 11 – Francisco de Almeida Calado; 12 – Caetano de Oliveira Cintra; 13 – Bento Correia Crespo; 14 – José Fernandes Xavier de Lima; 15 - Cirilo Veloso da Silva; 16 – Eutrópio Guilherme de Azevedo, 17 – Rodolfo Monteiro de Paiva, 18 - Antônio Cordeiro da Fonseca, 19 – Esperidião Guilherme de Azevedo; 20 – Antônio Muniz de Melo, 21 – Ernesto Alves da Silva Valença; 22 – Félix de Barros Pinto, 23 – Gregório Simões de Macedo, 24 – José Claudino de Almeida Valença, 25 – Miguel A. Davi Madeira, 26 – Odilon Barbosa Maciel e 27 – Joaquim Manso da Silva Sobrinho (Quinca Lelê).
Dois exemplares dos estatutos sociais, a ata de fundação e a lista dos sócios fundadores foram depositados, em 20.09.1911, no Cartório do Registro Geral de Hipotecas pelo oficial Antônio Soares da Rocha.
Para concluir, não se sabe se o “Syndicato Pastoril do Município de São Bento” teve vida longa e se atingiu seus objetivos, pois que nada mais a esse respeito a imprensa do Recife publicou a não ser um convite aos sócios para uma reunião no ano de 1916, anúncio publicado no Diário de Pernambuco, e este convite ainda era assinado pelo presidente eleito em 1911, Domingos Ferreira de Morais. Seria, pois, o caso de se pesquisar no cartório de São Bento do Una a dissolução dessa entidade patronal.
O Sindicato Pastoril de São Bento foi, ao que sabemos, a primeira entidade de cunho cooperativista e econômico e seus idealizadores e fundadores não poderiam ficar esquecidos pela nossa História Municipal, daí porque fizemos questão de nomeá-los como uma singela homenagem aos pioneiros no melhoramento genético das raças de gado bovino.
...

Fonte: “A Província” de 22.09.1911



Pau Amarelo PE 14 de junho de 2016

Orlando Calado é bacharel em direito.


Colunas anteriores:

Coluna 245 - 10/05/2017 - Pleito de gratidão a Dirceu e Ludgero
Coluna 244 - 14/04/2017 - Historia Municipal - A morte do mesário eleitoral
Coluna 243 - 13/02/2017 - Treze anos sem Sebastião Soares Cintra
Coluna 242 - 27/01/2017 - Injustiça imperdoável
Coluna 241 - 22/01/2017 - Sem memória não há História
Coluna 240 - 18/12/2016 - Felipe Manso, o prefeito que não foi
Coluna 239 - 05/12/2016 - Osvaldo Maciel, um grande Homem
Coluna 238 - 30/11/2016 - O Açude do Doutor Olavo
Coluna 237 - 24/11/2016 - São Bento, vida política e administrativa em 1930
Coluna 236 - 20/06/2016 - Cadê as coisas que deixei?
Coluna 235 - 14/06/2016 - O Sindicato Pastoril de S. Bento, um avanço para a época
Coluna 234 - 07/06/2016 - Esmeraldino Bandeira, um esquecido na nossa História
Coluna 233 - 05/06/2016 - Tributo ao prefeito Manoel Cândido, de São Bento
Coluna 232 - 29/05/2016 - Agamenon Magalhães e São Bento do Una
Coluna 231 - 11/09/2015 - As meretrizes da São Bento dos velhos tempos
Coluna 230 - 30/04/2015 - Por que nossa data magna municipal é o 30 de abril?
Coluna 229 - 06/02/2015 - Rodolfo Paiva, um são-bentense honorário
Coluna 228 - 03/01/2015 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (6)
Coluna 227 - 02/01/2015 - Monsenhor José de Anchieta Callou
Coluna 226 - 27/12/2014 - Padre Joaquim Alfredo, um mártir
Coluna 225 - 19/09/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (5)
Coluna 224 - 29/07/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (4)
Coluna 223 - 15/07/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (3)
Coluna 222 - 23/06/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (2)
Coluna 221 - 05/06/2014 - Breve História de Adelmar Paiva e do seu tempo (1)
Coluna 220 - 15/05/2014 - Uma pena: Clávio de Melo Valença nos deixou
Coluna 219 - 13/05/2014 - O que foi feito de nossas coisas antigas? Cadê?
Coluna 218 - 12/05/2014 - Zé Bico e Beni, dois são-bentenses notáveis
Coluna 217 - 09/04/2014 - Cícero Romão Batista, o santo do Nordeste do Brasil
Coluna 216 - 17/10/2013 - É hora de o político abrir os olhos
Coluna 215 - 02/10/2013 - A elite reacionária de ontem, de hoje e de sempre
Coluna 214 - 06/09/2013 - Custa caro um deputado federal pernambucano
Coluna 213 - 18/07/2013 - É duro ser um brasileiro comum, pagador de impostos
Coluna 212 - 14/07/2013 - Considerações várias sobre uma pequena cidade
Coluna 211 - 29/06/2013 - Lêucio Mota, estadista são-bentense do Una
Coluna 210 - 27/06/2013 - Nobre é a missão do professor
Coluna 209 - 21/06/2013 - Este País parece que não tem jeito mesmo
Coluna 208 - 16/06/2013 - Apolônio Sales, estadista brasileiro, o homem que tirou o Nordeste das trevas
Coluna 207 - 06/06/2013 - Registro histórico da posse de Gilvan Lemos na APL
Coluna 206 - 14/05/2013 - A grande seca de 2013
Coluna 205 - 06/05/2013 - Quebra de sigilo bancário
Coluna 204 - 30/04/2013 - Datas notáveis de São Bento do Una, edição revista e ampliada
Coluna 203 - 26/04/2013 - E as bombas da maratona de Boston?
Coluna 202 - 16/01/2012 - Enaltecendo São Bento e a Festa dos Santos Reis
Coluna 201 - 30/04/2011 - São Bento do Una: 151 anos de governo próprio
Coluna 200 - 05/04/2011 - Padre João Rodrigues, o semeador de templos
Coluna 199 - 15/10/2010 - O espírito pioneiro são-bentense do Una (1)
Coluna 198 - 22/07/2010 - Jackson do Pandeiro, o ritmista virtuoso
Coluna 197 - 13/04/2010 - Datas notáveis de S. Bento do Una desde os primórdios ao centenário de sua emancipação política em 1960
Coluna 196 - 28/02/2010 - Legado à posteridade
Coluna 195 - 22/01/2010 - Considerações finais a respeito do Governo Provisório da República de 1889
Coluna 194 - 30/12/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (37) (Fim da Série)
Coluna 193 - 20/12/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (36)
Coluna 192 - 09/12/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (35)
Coluna 191 - 02/12/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (34)
Coluna 190 - 25/11/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (33)
Coluna 189 - 18/11/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (32)
Coluna 188 - 11/11/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (31)
Coluna 187 - 04/11/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (30)
Coluna 186 - 27/10/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (29)
Coluna 185 - 21/10/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (28)
Coluna 184 - 14/10/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (27)
Coluna 183 - 07/10/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (26)
Coluna 182 - 30/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (25)
Coluna 181 - 23/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (24)
Coluna 180 - 16/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (23)
Coluna 179 - 09/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (22)
Coluna 178 - 02/09/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (21)
Coluna 177 - 26/08/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (20)
Coluna 176 - 19/08/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (19)
Coluna 175 - 12/08/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (18)
Coluna 174 - 05/08/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (17)
Coluna 173 - 29/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (16)
Coluna 172 - 22/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (15)
Coluna 171 - 16/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (14)
Coluna 170 - 08/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (13)
Coluna 169 - 01/07/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (12)
Coluna 168 - 25/06/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (11)
Coluna 167 - 17/06/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (10)
Coluna 166 - 09/06/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (9)
Coluna 165 - 27/05/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (8)
Coluna 164 - 17/05/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (7)
Coluna 163 - 29/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (6)
Coluna 162 - 22/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (5)
Coluna 161 - 15/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (4)
Coluna 160 - 08/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (3)
Coluna 159 - 01/04/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (2)
Coluna 158 - 21/03/2009 - A República Brasileira de 1889, uma instituição militar positivista (1)
Coluna 157 - 25/02/2009 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (14) (final da série)
Coluna 156 - 22/11/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (13)
Coluna 155 - 08/11/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (12)
Coluna 154 - 25/10/2008 - S.Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (11)
Coluna 153 - 18/10/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (10)
Coluna 152 - 11/10/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (9)
Coluna 151 - 27/09/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (8)
Coluna 150 - 20/09/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (7)
Coluna 149 - 13/09/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (6)
Coluna 148 - 06/09/2008 - S. Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (5)
Coluna 147 - 30/08/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (4)
Coluna 146 - 24/08/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (3)
Coluna 145 - 16/08/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (2)
Coluna 144 - 09/08/2008 - São Bento do Una, um breve passeio ao longo de sua história (1)
Coluna 143 - 02/08/2008 - O presídio de Fernando de Noronha e seu regime jurídico no final do Império (3/3)
Coluna 142 - 19/07/2008 - O presídio de Fernando de Noronha e seu regime jurídico no final do Império (2/3)
Coluna 141 - 12/07/2008 - O presídio de Fernando de Noronha e seu regime jurídico no final do Império (1/3)
Coluna 140 - 05/07/2008 - As comarcas de Pernambuco, do Sertão e do Rio de S. Francisco e a separação da última da província de Pernambuco
Coluna 139 - 28/06/2008 - A extraordinária figura de Dom João VI, primeiro e único rei do Brasil
Coluna 138 - 21/06/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (25) - O trabalho servil e as suas conseqüências danosas que fazem do Brasil um país de povo pobre
Coluna 137 - 14/06/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (24) - A abolição da escravatura no Ceará, a povoação de Boa Viagem do Recife entre outros assuntos
Coluna 136 - 07/06/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (23) - A crise no abastecimento de água no Recife. Relatório do governo: as chuvas diminuem a bandidagem
Coluna 135 - 31/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (22) - O projeto de lei de Joaquim Nabuco abolindo a escravidão e a chamada Lei Saraiva que restringiu o voto
Coluna 134 - 24/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (21) - Ainda os efeitos da grande seca na Vila de S. Bento; o Ginásio Pernambucano em 1879
Coluna 133 - 17/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (20) - Os efeitos da grande seca em São Bento
Coluna 132 - 10/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (19) - A corrupçao na vida pública; o espírito empreendedor do barão de Mauá
Coluna 131 - 03/05/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (18) - A terrível seca dos três sete
Coluna 130 - 26/04/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (17) - A inauguração do palacete da rua da Aurora enquanto a febre amarela grassa em Pernambuco
Coluna 129 - 19/04/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (16) - A revolução nas comunicações e o desfecho da Questão Religiosa
Coluna 128 - 12/04/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (15) - Dom Vital e a Questão Religiosa
Coluna 127 - 05/04/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (14) - A Lei do Ventre Livre
Coluna 126 - 29/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (13) - A Guerra do Paraguai
Coluna 125 - 22/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (12) - A Guerra do Paraguai
Coluna 124 - 15/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (11)
Coluna 123 - 08/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (10)
Coluna 122 - 01/03/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (9)
Coluna 121 - 23/02/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (8)
Coluna 120 - 16/02/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (7)
Coluna 119 - 09/02/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (6)
Coluna 118 - 02/02/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (5)
Coluna 117 - 26/01/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (4)
Coluna 116 - 19/01/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (3)
Coluna 115 - 11/01/2008 - Pingos de história do Império Brasileiro (2) O Diario de Pernambuco na História do Brasil
Coluna 114 - 29/12/2007 - Pingos de história do Império Brasileiro (1) - A chegada ao Brasil da família imperial portuguesa
Coluna 113 - 22/12/2007 - A Bíblia, um livro de inúmeras histórias
Coluna 112 - 15/12/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (34)
Coluna 111 - 08/12/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (33)
Coluna 110 - 01/12/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (32)
Coluna 109 - 24/11/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (31)
Coluna 108 - 17/11/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (30)
Coluna 107 - 10/11/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (29)
Coluna 106 - 03/11/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (28)
Coluna 105 - 27/10/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (27)
Coluna 104 - 20/10/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (26)
Coluna 103 - 13/10/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (25)
Coluna 102 - 06/10/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (24)
Coluna 101 - 29/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (23)
Coluna 100 - 23/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (22)
Coluna 99 - 15/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (21)
Coluna 98 - 08/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (20)
Coluna 97 - 01/09/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (19)
Coluna 96 - 25/08/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (18)
Coluna 95 - 18/08/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (17)
Coluna 94 - 11/08/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (16)
Coluna 93 - 04/08/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (15)
Coluna 92 - 28/07/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (14)
Coluna 91 - 21/07/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (13)
Coluna 90 - 14/07/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (12)
Coluna 89 - 07/07/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (11)
Coluna 88 - 30/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (10)
Coluna 87 - 23/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (9)
Coluna 86 - 16/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (8)
Coluna 85 - 09/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (7)
Coluna 84 - 02/06/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (6)
Coluna 83 - 26/05/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (5)
Coluna 82 - 19/05/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (4)
Coluna 81 - 12/05/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (3)
Coluna 80 - 05/05/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (2)
Coluna 79 - 28/04/2007 - Fatos & gente são-bentenses de épocas diversas (1)
Coluna 78 - 21/04/2007 - A Guarda Nacional da Vila e Município de São Bento
Coluna 77 - 14/04/2007 - Fatos & gente são-bentenses das décadas de 1930 e 1940
Coluna 76 - 07/04/2007 - Uma breve visita à nossa querida São Bento do Una
Coluna 75 - 31/03/2007 - Planejamento familiar no Brasil: uma necessidade inadiável
Coluna 74 - 24/03/2007 - Hoje, meio século de uma tragédia são-bentense
Coluna 73 - 17/03/2007 - "Eu vi o mundo... Ele começava no Recife"
Coluna 72 - 10/03/2007 - Reminiscências de um menino de São Bento (7)
Coluna 71 - 03/03/2007 - Um fazendeiro são-bentense do século XIX
Coluna 70 - 24/02/2007 - O Rio de Janeiro será sempre o Rio de Janeiro
Coluna 69 - 17/02/2007 - Gilvan Lemos, simplesmente um escritor
Coluna 68 - 10/02/2007 - A Great Western da minha meninice: uma pequena história
Coluna 67 - 03/02/2007 - A declaração universal dos direitos humanos
Coluna 66 - 27/01/2007 - A revolta da chibata
Coluna 65 - 20/01/2007 - A revolta da vacina
Coluna 64 - 13/01/2007 - Apolônio Sales, um estadista de grande valor
Coluna 63 - 06/01/2007 - 2006: Um ano de saldo positivo apesar do pouco crescimento econômico
Coluna 62 - 30/12/2006 - A "Batalha da Borracha", um episódio esquecido da história do Brasil
Coluna 61 - 23/12/2006 - Alguns suicidas famosos (2/2)
Coluna 60 - 16/12/2006 - Alguns suicidas famosos (1/2)
Coluna 59 - 09/12/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (16)
Coluna 58 - 02/12/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (15)
Coluna 57 - 25/11/2006 - Congresso Nacional perdulário, povo paupérrimo
Coluna 56 - 18/11/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (14)
Coluna 55 - 15/11/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (13)
Coluna 54 - 14/10/2006 - Modos de falar diferentes no Brasil e em Portugal (4/4)
Coluna 53 - 07/10/2006 - Modos de falar diferentes no Brasil e em Portugal (3/4)
Coluna 52 - 30/09/2006 - Modos de falar diferentes no Brasil e em Portugal (2/4)
Coluna 51 - 23/09/2006 - Modos de falar diferentes no Brasil e em Portugal (1/4)
Coluna 50 - 16/09/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (12)
Coluna 49 - 09/09/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (11)
Coluna 48 - 02/09/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (10)
Coluna 47 - 26/08/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (9)
Coluna 46 - 08/07/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (8)
Coluna 45 - 01/07/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (7)
Coluna 44 - 24/06/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (6)
Coluna 43 - 17/06/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (5)
Coluna 42 - 10/06/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (4)
Coluna 41 - 03/06/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (3)
Coluna 40 - 27/05/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (2)
Coluna 39 - 20/05/2006 - Reminiscências de um menino de São Bento (6)
Coluna 38 - 13/05/2006 - Aumentando os conhecimentos gerais (1)
Coluna 37 - 06/05/2006 - Reminiscências de um menino de São Bento (5)
Coluna 36 - 29/04/2006 - Os planetas e seus satélites
Coluna 35 - 22/04/2006 - As impropriedades do quotidiano do brasileiro (2)
Coluna 34 - 15/04/2006 - As impropriedades do quotidiano do brasileiro (1)
Coluna 33 - 08/04/2006 - Nome de rua não deve ser mudado
Coluna 32 - 01/04/2006 - Brasil, nova potência petrolífera mundial!
Coluna 31 - 25/03/2006 - Reminiscências de um menino de São Bento (4)
Coluna 30 - 18/03/2006 - Biodiesel: um combustível social e ecológico
Coluna 29 - 11/03/2006 - Os livros de Sebastião Cintra
Coluna 28 - 04/03/2006 - Um sábado sangrento no Recife
Coluna 27 - 25/02/2006 - O início do resgate da nossa dívida social
Coluna 26 - 18/02/2006 - Fim da pobreza mundial até 2015
Coluna 25 - 11/02/2006 - Reminiscências de um menino de São Bento (3)
Coluna 24 - 04/02/2006 - Aspectos gerais da lei de responsabilidade fiscal
Coluna 23 - 28/01/2006 - Pernambuco começa a sair da letargia
Coluna 22 - 21/01/2006 - Perfil demográfico no mundo rico
Coluna 21 - 14/01/2006 - Brasil, potência mundial em 2020
Coluna 20 - 07/01/2006 - Os gatunos da esperança
Coluna 19 - 31/12/2005 - Josué Severino, o mestre e a Banda Santa Cecília
Coluna 18 - 24/12/2005 - Reminiscências de um menino de São Bento (2)
Coluna 17 - 17/12/2005 - Pequenas idéias para o desenvolvimento de São Bento do Una
Coluna 16 - 10/12/2005 - Do Estado pouco ou nada espero
Coluna 15 - 04/12/2005 - A América do Sul e o nazismo
Coluna 14 - 27/11/2005 - A Venezuela bolivariana de hoje
Coluna 13 - 26/11/2005 - Reminiscências de um menino de São Bento (1)
Coluna 12 - 13/11/2005 - A crise argentina
Coluna 11 - 13/11/2005 - A saga de Delmiro Gouveia
Coluna 10 - 10/11/2005 - O velho na legislação brasileira
Coluna 9 - 31/10/2005 - O projeto São Francisco
Coluna 8 - 24/10/2005 - Correio eletrônico, maravilha do nosso tempo
Coluna 7 - 13/10/2005 - Um século sem presidente paulista
Coluna 6 - 09/10/2005 - O Grande Pronome 'Lhe' Morreu!
Coluna 5 - 29/09/2005 - Brasil 2005 - Uma Economia Mais Forte
Coluna 4 - 22/09/2005 - As Vestais da Moralidade Pública
Coluna 3 - 15/09/2005 - Mordomia & Nepotismo
Coluna 2 - 07/09/2005 - Tratamento de Excelência
Coluna 1 - 07/08/2005 - Hiroshima - uma covardia inominável


©2003-2017 - Portal São Bento do Una